Fast Bio: Friedrich Nietzsche

Outubro 16, 2017/Blog

Nome: Friedrich Wilhelm Nietzsche;

(Nasceu em Rocken, Alemanha, no dia 15 de outubro de 1844 e morreu em Naumburg, Alemanha, a 25 de agosto de 1900)

Nacionalidade: Alemão;

Religião: Foi uma criança devota ao protestantismo mas acaba os seus dias a pensar ter encarnado o Anticristo;

Escola: Era um aluno sério e responsável; Teve formação musical desde tenra idade e tinha grande aptidão para tocar piano; Aos 14 anos ingressa no prestigiado colégio interno de Pforta onde recebe uma educação humanista; Termina a escola secundária em 1864 e muda-se para Bona onde frequenta a universidade e estuda filologia clássica e teologia; Entretanto desiste da teologia e no ano seguinte muda-se para Leipzig, onde continua a estudar filologia;

Vida: Nasce no seio de uma família protestante; O seu pai era pastor e o mesmo se esperava do jovem Friedrich; Depois da morte do pai, quando Nietzsche tinha 6 anos, a família muda-se para Naumburg; Aos 9 anos começa a sofrer de fortes enxaquecas, mal de que sofrerá durante toda a vida; Aos 10 anos já escrevia poemas e aos 12 redige o seu primeiro ensaio filosófico; A par do problema das enxaquecas teve grandes problemas com os olhos sendo-lhe diagnosticada uma grande miopia; Durante a sua estadia em Bona contrai sífilis, a doença que mais tarde serviria de desculpa para a sua loucura; Já em Leipzig começa a publicar ensaios e recensões em revistas especializadas e um dos seus trabalhos chega a ganhar um prémio; É também em Leipzig que Nietzsche conhece dois homens (um morto e outro vivo) que influenciariam a sua vida para sempre, Arthur Schopenhauer e Richard Wagner; Entretanto, interrompe os estudos para cumprir o serviço militar e chega a ser um notável cavaleiro reconhecido pelos pares; Em 1869 ocupa a cátedra de Língua e Literatura gregas na universidade suíça de Basileia; Em 1872 lança o seu primeiro livro “A Origem da Tragédia” que cai como uma bomba nos círculos intelectuais e mancha para sempre o seu prestígio como investigador e professor; Em 1876 Nietzsche começa a sofrer de um péssimo estado de saúde e viaja para Itália à procura de um clima mais favorável para a sua frágil saúde, a mesma que se vai agravando e que faz com que três anos depois deixe de poder cumprir as suas obrigações como docente; Nos anos seguintes vive entre a Alemanha, a Suíça, França e Itália alojando-se em pequenos quartos de albergues ou pensões e passa os dias a caminhar, pensar e escrever sofrendo com a doença e a solidão; É nesta altura que escreve prolificamente aquelas que viriam a ser as obras que o consagram como filósofo, entre elas “Assim Falava Zaratustra”, “Para Além do Bem e do Mal” e “A Vontade de Poder”; Em 1889 Nietzsche é internado num hospital psiquiátrico em Jena mas o seu estado de saúde piora progressivamente; A mãe decide trazê-lo para casa, em Naumburg e, após um período em que permaneceu num estado praticamente vegetativo, Friedrich Nietzsche acaba por morrer a 25 de agosto de 1900, aos 55 anos;

Curiosidades:
Nietzsche teve algumas paixões que culminaram em desilusões amorosas; Nunca casou nem teve filhos;

Influências: Schopenhauer, Wagner, Espinosa, entre outros;

Geografia: Europa;

Conhecido por: Polémico filósofo alemão que apaixonou muitos e foi rejeitado por outros tantos; Foi um acérrimo crítico da filosofia, da ciência, da religião e da moral; Nietzsche vê no conhecimento uma experiência após a qual nada voltará a ser como era e as suas obras caracterizam-se por uma apropriação artística muito mais do que por uma aprendizagem técnica ou científica; Inspirou filósofos como Wittgenstein, Heidegger, Foucault, etc; É considerado um dos pais do pós-modernismo e certos conceitos contidos nas suas obras são hoje reconhecidos universalmente como é o caso do “super-homem”, do “eterno retorno” e da “morte de deus”;

Criticado por: Muitos foram os adjetivos com que tentaram destruir o “filósofo maldito”, contando-se entre eles exemplos como: subversivo, reacionário, elitista, esteticista, antissemita, misógino, anarquista, irracionalista, etc.;

Ficção: Quando Nietzsche Chorou (2007), um filme baseado no livro homólogo de Irvin D. Yalom que retrata os encontros fictícios entre Nietzsche e o seu médico Josef Breuer;

Frase: “Se queres alcançar a paz de espírito e a felicidade então crê; mas se queres ser um discípulo da verdade, então investiga.”

Teresa Rolla

TeresaRolla.com