5 Minutos de História: A Pop Art

Setembro 26, 2017/Blog

O que é: A Pop Art é um movimento artístico que surgiu na década de ’50 do séc. passado em Inglaterra mas que rapidamente se expandiu até ao outro lado do Atlântico, invadindo a arte norte-americana; A Pop Art tenta desconstruir a tradição elitista das belas-artes ao elevar objetos mundanos ao estatuto de arte ao mesmo tempo que usa a ironia como uma demonstração da massificação da cultura popular capitalista; Ao dar ênfase ao banal a Pop Art tenta desmistificar a arte abstrata que dominou o início do século dando predominância à crueza dos objetos, à sua representatividade e simbolismo;

Forma de expressão:
A Pop Art foi buscar a sua inspiração à publicidade, aos logotipos e ao consumismo; Ao atribuir um novo estatuto aos objetos do dia a dia, demonstrou o desenvolvimento social que estava a emergir nos mais variados campos da vida humana; Inspirou-se em filmes, no design de produtos, na banda desenhada, na ficção científica e na tecnologia; Era um movimento que se destinava a todos e que reivindicava o papel social da arte; Com uma certa ironia e fascínio pelos símbolos de riqueza e abundância a Pop Art está repleta de alusões e de ambiguidades que contrastam fortemente entre si; Ao tornar os assuntos triviais merecedores de atenção, ao tratar o quotidiano de uma forma estética, a Pop Art refletiu como nenhuma outra arte os ícones da cultura de massas;

Inteligência popular: Embora o termo Pop nos leve para uma fação populista da sociedade não é de todo esse o propósito da Pop Art; Ao acompanhar um novo nível de consciência da sociedade a Pop Art pode ser vista como um instrumento de reflexão crítica que evidencia a diversidade e a banalidade da própria vida; A crítica à alienação da sociedade encontra-se presente em quase todas as obras deste movimento; O culto da personalidade artificial e a hipocrisia dos métodos publicitários é outro dos pontos chave que a Pop Art revela; As alusões literárias e referências encapuçadas criam uma nova linguagem que nada tem de superficial; Poe exemplo, quando Andy Warhol faz uma reprodução em série da Mona Lisa com o título “Trinta São Melhores do que Uma” e mostra a possibilidade da reprodução ad infinitum estamos perante aquilo que se poderia chamar “o pensamento capitalista em forma de arte”;

Teresa Rolla

TeresaRolla.com