Fast Bio: Charles Bukowski

Agosto 21, 2017/Blog

Nome: Heinrich Karl Bukowski (Henri Charles Bukowski);

(Nasceu em Andernach a 16 de Agosto de 1920 e morreu em Los Angeles a 9 de Março de 1994)

Nacionalidade: Germano-americano;

Religião: Agnóstico;

Escola: Estudou jornalismo na Los Angeles City College mas não chegou a terminar o curso;

Vida: Filho de um soldado americano, tinha 3 anos quando a família se mudou para os EUA; Sofreu de abusos físicos e psicológicos por parte do pai; Na adolescência teve vários problemas de acne que, juntamente com o sotaque alemão, o tornaram tímido e bastante antissocial; Ainda nesse período descobriu duas coisas que nunca mais abandonaria – o álcool e a escrita; Quando o pai leu alguns dos seus textos a relação dos dois tornou-se cáustica e Bukowski saiu de casa; Trabalhou em limpezas, como motorista de camião, em bombas de gasolina, como carteiro, etc.; Viveu em várias cidades dos EUA; Tentou publicar o que escrevia em várias editoras mas quase sempre os seus textos eram recusados; Casou-se com Barbara Frye de quem se divorciou pouco tempo depois; Teve uma filha com Frances Smith – Marina Louise Bukowski; Criou um alter-ego, a quem deu o nome de Henry Chinaski, que se tornou a personagem principal de vários livros; Em 1985 volta a casar-se, desta vez com Linda Lee, “a última das muitas mulheres da sua vida”. Morreu de leucemia em 1994, aos 73 anos;

Influências:
Fiódor Dostoiévski de quem herdou o pessimismo e Ernest Hemingway que lhe mostrou a simplicidade da escrita;

Características: Bukowski viveu completamente fora dos padrões ditados pela sociedade, teve vários problemas com o álcool, viveu de empregos precários e era um ser atormentado e inconformado; A sua escrita é completamente autobiográfica e roça o estilo agressivo onde predominam sentimentos como a repulsa, o nojo, o ódio, o amor, a paixão e a melancolia;

Conhecido por: Poeta, escritor de contos, romancista e pai da literatura marginal – o “dirty old man” que viria a ser um escritor amplamente consagrado; Jean-Paul Sartre chamou-lhe “O maior poeta da América.”;

Livros: Bukowski escreveu mais de 50 livros, entre eles 6 romances: Correios (1971), Mulheres (1978), Pão com Fiambre (1982), Música para Água Ardente (1983), Hollywood (1989) e Pulp (1994);

Ficção: São vários os filmes que retratam Charles Bukowski e desde 2013 que se espera o lançamento de “Bukowski” de James Franco;

Música: Bukowski era um ouvinte compulsivo de música clássica;

Frase: “Não, eu não odeio as pessoas. Só prefiro que elas não estejam por perto.”

Teresa Rolla

TeresaRolla.com