Frases da Semana: 25/06 a 02/07

Julho 2, 2017/Blog

“Tenho conhecimento de vítimas indiretas deste processo, pessoas que puseram termo à vida, que em desespero se suicidaram e que não receberam o apoio psicológico que deviam.”
(Pedro Passos Coelho)

“Eu sinto que posso fazer qualquer coisa que vocês aplaudem. Vou mandar um peido para ver o que é que acontece.”
(Salvador Sobral)

“Simone Veil foi uma das últimas testemunhas do que o nacionalismo extremo é capaz de fazer aos homens.”
(Teresa de Sousa, Jornalista do Público)

“Para mim, aos olhos da lei, o casamento é entre um homem e uma mulher e, por isso, votei contra.”
(Angela Merkel)

“Existe uma simbiose de géneros e estilos de música que se adaptam e adoptam em cada festival, que diferem nos distintos eventos que caracterizam determinados movimentos — house, mods, new age travellers, punk, rastafáris, rock&roll, seapunks, skinheads e techno — e que remetem para distintos crimes.”
(Óscar Afonso, Presidente do Observatório de Ecónomia e Gestão de Fraude)

“Que Nossa Senhora de Coromoto interceda pela Venezuela!”
(Papa Francisco)

“O meu convite para o casamento de Messi deve ter-se perdido…”
(Diego Maradona)

“É mais que obrigatório e inevitável que haja demissões depois de Pedrógão”.
(Ângelo Correia, Ex-Ministro da Administração Interna)

“Ninguém leva material de guerra para guardar”
(Pedro Passos Coelho)

“Lei foi fraca, política foi débil e Estado foi incompetente”
(Francisco Louçã)

“Só um raio telecomandado podia ter gerado aquele incêndio”
(Jaime Marta Soares, Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses)

“Nunca podemos ter certeza de qualquer coisa que saia desta Casa Branca. Exceto a crueldade”.
(Maureen Dowd, Jornalista do NYT)

TeresaRolla.com