Sapiens – História Breve da Humanidade, de Yuval Harari

Novembro 27, 2016/Review

Título: Sapiens – História Breve da Humanidade
Autor: Yuval Harari
Editora: Vogais (2015)
Ano: 2011
Páginas: 496
Nota: 19/20

Ia escrever um texto que tentasse englobar todos os assuntos tocados por Yuval Harari ao longo do seu “Sapiens – História Breve da Humanidade”, mas o autor pensou nisso e deixou-nos, no final do livro, o melhor resumo que alguém lhe pode fazer.

“Sapiens – Uma Breve História da Humanidade” devia ser obrigatório ler, mas ninguém se devia sentir obrigado a tal. Numa sociedade melhor que a nossa, os sapiens preocupar-se-iam com a sua própria história.

“Há 70 000 anos, o Homo Sapiens ainda era um animal insignificante preocupado consigo próprio, num canto de África. Nos milénios que se seguiram transformou-se no senhor do mundo inteiro e num dos flagelos do ecossistema. Hoje está prestes a tornar-se num deus, preparado para adquirir não só a juventude eterna como também as capacidades divinas da criação é da destruição.

Infelizmente, o domínio sapiens na Terra produziu, até agora, pouco de que possamos orgulhar-nos. Dominámos o meio envolvente, aumentámos a produção de alimentos, construímos cidades, estabelecemos impérios e criámos extensas redes de comércio. Mas diminuímos o nível de sofrimento no mundo? Vezes sem conta, um aumento considerável do poder humano não correspondeu, necessariamente, ao bem-estar do sapiens individual, provocando também, por norma, um enorme sofrimento a outros animais.

Ao longo das últimas décadas conseguimos, por fim, fazer um progresso real no que diz respeito à condição humana, com a redução da fome, de pragas e das guerras. No entanto, a situação dos outros animais está a deteriorar-se mais rapidamente do que nunca e os melhoramentos da humanidade são demasiado recentes e frágeis para serem certos.

Além disso, apesar das coisas espantosas que os humanos são capazes de fazer, continuamos sem ter a certeza dos nossos objetivos e parecemos estar mais desligados do que nunca. Avançamos das canoas para as caravelas, para barcos a vapor, para vaivéns espaciais – mas ninguém sabe para onde vamos. Estamos mais poderosos do que alguma vez estivemos, mas não fazemos a mínima ideia do que fazer com todo esse poder. Ainda pior: os humanos parecem mais irresponsáveis do que nunca. Deuses autoproclamados, com apenas as leis da física para nos fazerem companhia, não responsabilizados por ninguém. Estamos, assim, a espalhar o caos sobre os nossos companheiros animais e o ecossistema envolvente, em busca de pouco mais que o nosso próprio conforto e divertimento, sem, no entanto, nos darmos por satisfeitos.

Existirá algo mais perigoso do que deuses insatisfeitos e irresponsáveis, que não sabem o que querem?”

[Yuval Harari, in Sapiens – História Breve da Humanidade]

P.S.: Este livro é uma óptima prenda de Natal para pessoas interessantes.

TeresaRolla.com