9 coisas que caracterizam as sociedades contemporâneas:

Outubro 24, 2016/Blog

1) Vivemos hoje uma crise de representação que faz com que não sejamos capazes de esquematizar a sociedade;

2) Os poderes que de facto nos determinam são cada vez mais invisíveis e menos identificáveis;

3) A velocidade a que vivemos acelerou de forma nunca antes vista, ou, por outras palavras, nunca fizemos tanto como agora com o tempo que temos;

4) Os meios de comunicação social assumem o papel de mediadores da sociedade e falseiam uma imediatez universal que mais não é que um novo nível de cegueira;

5) “O contacto com pessoas afastadas é frequentemente mais fácil que com os nossos vizinhos” – o que se traduz numa crescente virtualização das relações pessoais e da sociedade em geral;

6) Deixou de ser preciso saber muito e pensar muito para se fazer parte de um quadro político – o domínio da mediatização e a capacidade de prender a atenção são os atributos mais procurados para ganhar o voto das massas;

7) Vivemos algo de inédito a que podemos chamar “capitalismo da atenção” – a atenção é hoje capitalizável a vários níveis e o imperativo em vigor deve ser qualquer coisa como: “Vêem-me, logo existo”;

8) A insegurança generalizada é um dos frutos da “sociedade do risco” em que vivemos, mas também se deve ao aumento drástico do horizonte de referências que a virtualização da sociedade produz – nunca antes a pluralidade de vivências, experiências, ideias e representações foi tão díspar e prolífera dentro da mesma sociedade;

9) A responsabilidade social começa, hoje, pelo respeito pela complexidade das coisas – e a complexidade exige que tentemos, sempre, ver para lá das evidências imediatas;
Boa semana, Rock and Rolla

TeresaRolla.com